Necessidades Educativas Especiais

Um blog de professores para professores sobre as necessidades educativas especiais. "O termo NEE's refere-se ao desfasamento entre o nível de comportamento ou de realização da criança e o que dela se espera em função da sua idade cronológica." (in Ministério da Educação e Valorização dos Recursos Humanos)

terça-feira, 5 de junho de 2007

O que é a Educação Especial

Já há algum tempo tem-se vindo a ouvir falar de Educação Especial e de Necessidades Educativas Especiais, mas será que na realidade se sabe do que se está a falar?

Durante muito tempo viveu-se a exclusão escolar das crianças com Necessidades Educativas Especiais na nossa sociedade. Quando se tratavam de deficiências severas, as crianças eram normalmente inseridas em escolas especiais, como as Cercis ou Instituições privadas do género, o que acontecia quando havia apoio por parte da Segurança Social ou boas condições financeiras familiares. Caso contrário, as crianças não iam à escola permanecendo em casa com as suas famílias. Com o passar dos anos e a latente necessidade de instruir todas as crianças em ambiente escolar inclusivo, surge a Educação Especial nas escolas regulares, baseada no lema “Escola para todos”.

A Educação Especial é uma vertente da escola moderna que despontou com a reestruturação das escolas regulares para atender às necessidades de todas as crianças. Na Educação Especial inserem-se todos os alunos que, quer por deficiência física, motora ou mental, ou por problemas cognitivos e de aprendizagem, não conseguem acompanhar o ensino regular e por isso têm que ter uma “Educação Especial”, sendo inseridos nas Necessidades Educativas Especiais.

Há quem seja da opinião que as crianças com deficiência física, motora ou mental devem frequentar Instituições especializadas, contudo tem sido comprovado que estas crianças em contexto escolar normal também desenvolvem capacidades importantes para o seu desenvolvimento, como por exemplo a socialização. No entanto, não nos podemos esquecer que a frequência da escola regular ou da instituição também vai depender do grau da sua deficiência, dado a escassez de meios físicos e de pessoal especializado nas escolas para lidar com certas situações.

Porém, é frequente mas errado pensar que os alunos com Necessidades Educativas Especiais são apenas os que têm deficiências aos níveis sensoriais (visão e audição), motor ou mental. As Necessidades Educativas Especiais abrangem todos os alunos que apresentam problemas educativos de carácter prolongado e graves dificuldades a nível escolar.
artigo publicado no Jornal de Albergaria

Etiquetas: ,

2 Comentários:

Às 10 de junho de 2007 às 13:18 , Blogger Wakewinha disse...

Muito bem lembrado! Temos uma particular necessidade de esteriotipar cada coisa, mesmo ao nível da educação, e tu mostra-nos que não há regra sem excepção, nem excepção regrada. O artigo é yeu, né? E foi publicado num newspaper? Muito bem, nina! =)

 
Às 12 de junho de 2007 às 05:05 , Anonymous Anónimo disse...

Olá Cat! Concordo com o que escreveste no artigo publicado no jornal de Albergaria, porém, infelizmente, instâncias superiores, nomeadamente, o Ministério da Educação, cada vez mais tem vindo a reduzir o conceito de NEE a deficiências sensoriais, físicas e/ ou mentais visíveis. Basta ter em atenção a CIF. O que é, sem dúvida, de lamentar!!!
Carla Silvestre, 31 anos

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial